segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Indicadores nacionais e internacionais confirmam a diminuição da criminalidade no MA


A queda de 12% no número de homicídios, o aumento da apreensão de armas e drogas e as estratégias policiais utilizadas pelo sistema de segurança pública foram alguns elementos indicativos da redução da criminalidade no Maranhão em 2015, segundo dados da Secretaria de Segurança Pública.
A diminuição dos homicídios na Região Metropolitana de São Luís, representada por menos 109 assassinatos em relação a 2014, foi tendência ao longo do ano, repetindo-se em oito dos 12 meses. A apreensão de armas de fogo cresceu. Foram 1.113 na Região Metropolitana de São Luís em 2015 contra 920 em 2014, o que representa um acréscimo de 21%.
Segundo o secretário de Estado de Segurança Pública, Jefferson Portela, a metodologia aplicada na geração das estatísticas segue parâmetros nacionais e internacionais para a definição dos chamados Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI). O padrão foi criado pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) para unificar a nomenclatura no Brasil e que é adotado, há anos, pelo Estado.
Pedrinhas
A partir de 2015, o Governo do Maranhão deu início a ações para reestruturar o sistema prisional e superar o cenário de descontrole institucional existente anteriormente, promovendo reintegração social por meio do trabalho e educação.
O reflexo foi a queda de 77% na incidência de homicídios em comparação ao mesmo período de 2014 e 74% na ocorrência de fugas no Complexo Penitenciário de Pedrinhas.
Combate a crimes no interior
O Governo do Maranhão formou, na terça-feira (12), nova turma do Curso de Operações de Sobrevivência na Área Rural (Cosar) da Polícia Militar do Maranhão (PMMA) no Comando Geral da PMMA. Além dos homens qualificados para o combate a assaltos na zona rural e no interior do Estado, o Governo adquiriu armamento apropriado para o reforço das equipes que vão intensificar o trabalho especializado fora da capital. O curso foi coordenado pela Companhia de Operações Especiais (COE).
Esta é a segunda edição do Cosar. A primeira foi realizada em abril de 2015 e formou 22 policiais, cinco deles do Piauí. Segundo o coronel José Frederico Pereira, comandante geral da Polícia Militar do Maranhão, o curso é focado em assuntos na área de selva, porque o histórico das fugas após assaltos a bancos, por exemplo, aponta corrida para a mata. “No curso, os homens aprendem a lidar com explosivos, têm instruções de tiros de precisão e de diversos tipos de salvamento”, comentou o coronel.
Os habilitados no Cosar reforçarão o combate a assaltos a bancos no interior do Maranhão e a ronda ostensiva com base em mapeamento de demandas. A medida reitera uma das preocupações prioritárias do Governo do Maranhão, com o combate às quadrilhas de assaltos e roubos na capital e no interior, conforme apontou o secretário estadual de Segurança Pública, Jefferson Portela. “Nossa intervenção policial vai aumentar a força tarefa para identificação e captura dos praticantes de roubos”, completou Jefferson Portela.
Armamento Especial
O Governo do Maranhão também aparelhou o grupamento para a atuação especializada. Cada policial formado recebeu armamento parafal calibre 762, fuzil de precisão calibre 762 e pistola ponto 40, armamentos especificamente destinados ao processo de combate a crimes melhor articulados e assaltos de maior porte.
Os policiais também estão aptos a reforçar a tropa de choque da PM, sob demanda. Para isso, também foram adquiridos equipamentos específicos da atividade policial desenvolvida pelo Choque: munição de elastômetro (balas de borracha), granadas, lançadores de granadas, capacetes e escudos à prova de bala.

Nenhum comentário:

.

.