sexta-feira, 1 de abril de 2016

Março registra queda de 18% no número de homicídios dolosos na Região Metropolitana de São Luis


Os registros dos crimes de homicídio, que estão entre um dos maiores desafios da Segurança, tiveram queda considerável na Região Metropolitana de São Luís. Março encerrou com queda de 18% nos casos de mortes violentas, em comparação com o mesmo período do ano passado. Foram 69 registros, contra 84 em 2015. A diminuição nos casos de morte é constatada, também, se comparados o primeiro trimestre deste ano com o de 2015, somaram 200 ocorrências contra 227, respectivamente, representando uma baixa de 12%.
Fazendo o comparativo com os Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) a queda é ainda maior – 16,3% menos ocorrências em 2016 em comparação a 2015. Foram 210 casos deste grupo este ano contra 251, ano passado. Além dos homicídios, os CVLIs incluem, ainda, casos de lesão corporal seguida de morte e latrocínio (roubo seguido de morte). Os números resultam do trabalho efetivo e ação rápida das forças policiais do Governo do Estado, destaca o delegado geral de Polícia Civil, Lawrence Melo.
O delegado geral atribui, ainda, às reformulações promovidas nas Polícias Civil e Militar. O novo modelo de planejamento vem sendo colocado em prática desde o primeiro ano da gestão Flávio Dino. “Destacamos a criação das Superintendências especializadas nos crimes de maior demanda, e os homicídios estão nessa lista. A descentralização da atividade policial e maior integração entre polícia e a sociedade como contribuintes para a diminuição dos casos”, destacou o delegado-geral.
Para ele, o planejamento da Segurança executado durante o Carnaval 2016 foi outro fator contribuinte para a queda nos casos neste primeiro trimestre. A ação conjunta entre as polícias monitorando de forma intensiva os pontos de ocorrências impediram crimes do tipo CVLIs nos circuitos oficiais. Os dados são da Unidade de Estatística e Análise Criminal da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-MA), com base em levantamento comparativo mensal.
Tendência de queda
O cenário de queda nos casos de mortes violentas tem sido regular, desde o início da gestão. Comparando os homicídios dolosos entre os anos de 2014 e 2015, a queda foi de 12% nos registros de casos. As ocorrências chegaram a 910 em 2014 e caíram para 801 em 2015. Tendo como base as demais classificações que ocasionaram mortes violentas, também houve queda - de 10%. Foram 1.024 casos em 2015 contra 1.137 em 2014. Estas demais classificações consideradas são: mortes por homicídio culposo (sem intenção); em estabelecimentos prisionais; de adolescentes em instituições; decorrentes de acidentes de trânsito (dolosos e culposos); suicídios; acidentais; e em confronto com agentes da lei.
Referência
Os crimes incluídos nos CVLIs são os utilizados pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), como critério para medir a violência no país. O direcionamento é aplicado mundialmente, seguindo convenção da Organização das Nações Unidas (ONU), tendo regramento nacional. Outro critério é a comparação de períodos iguais para que não haja grandes discrepâncias, culminando em dados errôneos.


Nenhum comentário:

.

.