sexta-feira, 7 de abril de 2017

Prefeita Valmira Miranda de Colinas participa da 10ª Agritec em Paraibano




Aberta nesta quinta-feira, (06) a 10ª Feira de Agricultura Familiar e Agrotecnologia do Maranhão (Agritec), em Paraibano; a primeira edição realizada no sertão maranhense e que dá início ao ciclo de cinco feiras que serão realizadas em 2017. O evento é promovido pelo Governo do Estado  desde 2015, tendo o Sebrae como parceiro desde sua primeira edição.

“Em 2017 o Sebrae está renovando essa parceria com o Governo do Estado, pois percebe que a Agritec é uma grande oportunidade para os pequenos produtores rurais se atualizarem e terem acesso a novas tecnologias, o que consideramos algo positivo e que contribui para o incentivo ao empreendedorismo”, afirma João Martins, diretor superintendente do Sebrae no Maranhão.


Durante a solenidade de abertura, o Sebrae entregou ao Governo do Estado, na ocasião representado pelo secretário de estado da agricultura familiar, Adelmo Soares, a prefeita de Colinas, Valmira Miranda e ao prefeito de Paraibano, José Hélio, o estudo sobre o Polígono da Abóbora. A entrega foi feita pelo gerente regional do Sebrae em Presidente Dutra, José Noleto e o gerente regional do Sebrae em Balsas, Maurício Lima, que na ocasião representaram a diretoria da instituição.

O estudo sobre o Polígono da Abóbora, realizado em 2016, apresenta as dificuldades e soluções enfrentadas por esta cadeia produtiva, a partir de pesquisas que apontam a região com maior produção de abóbora em todo estado, tendo os municípios de Paraibano, Colinas, Buriti Bravo e Passagem Franca, entre os nove municípios que compõem esse Polígono. Ainda segundo o estudo, o Polígono da Abóbora, no sertão Maranhense, envolve cerca de duas mil famílias que atualmente produzem em média 24 toneladas do produto ao ano.

A pesquisa do Sebrae constatou um baixo custo e poucas tecnologias necessárias para o cultivo, tendo a dedicação de famílias na lida da lavoura e a definição de um mercado consumidor, como fatores importantes para manter a alta produtividade. Colinas e Paraibano possuem destaque na comercialização do produto  por apresentarem um elevado número de compradores de outros Estados.

A produtora Francisca Vieira dos Santos, 34 anos, presente na Agritec, sobrevive da abóbora desde que nasceu. Seus pais já trabalhavam com esse tipo de plantio e depois que casou, tem a abóbora como principal fonte de renda de sua família. "A abóbora já me trouxe muitos benefícios. Consegui arrumar minha casa e comprar uma moto, mas eu quero crescer mais. Ainda temos um prejuízo muito grande na venda, além da perca de mais da metade da produção. Agora, a partir da capacitação do Sebrae comecei a fazer doces e licor de abóbora, querendo aproveitar um pouco mais. O Curso Negócio Certo Rural foi muito bom e me incentivou a vender esses produtos. A ajuda do Sebrae foi muito boa e quero mais, por isso estou aqui na Agritec",  revela a produtora, que hoje com ajuda de sua família possui 5 hectares de abóbora em sua casa no interior de Colinas.

 Segundo o gerente regional do Sebrae em Presidente Dutra, José Noleto, junto ao estudo, o Sebrae possui várias propostas para melhoria dessa produção. "Nossa proposta é um plano de comercialização mais agressivo e que valorize a identificação e novos canais para abóbora. A gente quer apresentar como um produto regional e também criar uma identidade deste produto com a região", disse.

Para a prefeita de Colinas, Valmira Miranda, com o apoio do Sebrae, a Prefeitura, por meio da Secretaria de Agricultura, conseguirá otimizar a produção de abóbora, tendo esse estudo como o primeiro grande passo. “A cultura da abóbora é uma das principais fontes de renda de muitos produtores, daí a importância de focarmos nela e ajudar esses produtores a produzirem mais e da forma correta, conforme aponta o estudo realizado pelo Sebrae”, relatou Miranda.


Além do Estudo do Polígono da Abóbora, o Sebrae também fez a entrega do relatório de resultados do ciclo Agritec 2016.

Nenhum comentário: