sexta-feira, 21 de abril de 2017

‘Vazamento’ que sarneysistas querem investigar foi divulgado em 2016 no próprio jornal de Sarney


O alardeado “vazamento” da delação do ex-executivo da Odebrecht José de Carvalho Filho, que envolve o governador maranhense Flávio Dino (PCdoB) em suposto recebimento de propina da empreiteira para a campanha de 2010, que deputados sarneysistas querem que o Supremo Tribunal Federal (STF) “investigue”, foi manchete no próprio jornal da família Sarney (O Estado) na edição do dia 8 de agosto de 2016, portanto há mais de 8 meses.

A manchete, sob o título “Odebrecht teria dado R$ 2000 mil para Flávio Dino”, repercutiu nota assinada por Guilherme Amado, publicada no jornal carioca O Globo, em 7 de agosto de 2016, na coluna do jornalista Lauro Jardim (“Executivos da Odebrecht citam caixa 2 para Anastasia e Dino”).

Ao pedir investigação sobre o suposto “vazamento” para Dino de informações sigilosas da investigação da Lava Jato, a oposição sarneysista tenta criar um factoide, alegando que o tal “vazamento” teria ocorrido em março deste ano, coincidindo com a data (17 de março de 2017) da certidão da Câmara dos Deputados, apresentada por Flávio Dino, provando que ele jamais atuou, quando era deputado, no Projeto de Lei 2.279/2007 (o qual atribuiria segurança jurídica a obras do Grupo Odebrecht em Cuba, mas que nesses dez anos nunca foi votado).

Deputados ligados à família Sarney dizem que, como a certidão da Câmara Federal é de 17 de março, alguém teria “vazado” a Flávio Dino a informação de que ele seria citado em uma lista divulgada apenas em abril.

O problema nessa “tese” é que o próprio jornal Estado, que pertence à família Sarney, foi quem “vazou” a história, em 8 de agosto de 2016.


O tal “vazamento”, portanto, era de conhecimento público desde o ano passado, o que gerou boatos, que se intensificaram em março deste ano, fazendo com que a assessoria do governador maranhense mapeasse a situação e solicitasse à Câmara dos Deputados a certidão inocentando Flávio Dino, que tanto incomoda os sarneysistas.

Fonte: O Informante

Nenhum comentário:

.

.